Banner

O Egito Sob o Olhar de Napoleão

De 26 de outubro de 2012 a 20 de janeiro de 2013, o Espaço Cultural Unifor Anexo, no campus da Universidade de Fortaleza, recebe a mostra O Egito Sob o Olhar de Napoleão, com curadoria do arqueólogo Vagner Carvalheiro Porto. Das 35 peças a serem exibidas, 21 fazem parte de Description de l’Egypte, coleção publicada em Paris entre 1809 e 1822, que descreve a expedição científica e militar liderada pelo general Napoleão Bonaparte àquele país do Oriente. A obra é reconhecida como o mais importante estudo erudito europeu do Egito antigo e moderno. Os livros acompanham 14 reproduções fotográficas das matrizes em cobre pertencentes ao Museu do Louvre, em Paris.

Organizada em cinco seções: Cartografia, Religião, Arquitetura, Egito Moderno e História Natural, a exposição apresenta 13 dos 21 volumes da Description de l’Egypte, com gravuras e alguns com mais de um metro de altura, abertos em página fixa, dentro de uma vitrine. Conta, ainda, com um dos dois livros publicados pelo artista e barão Dominique Vivant Denon (1747-1825). A exposição traz também um cronograma dos principais eventos da campanha napoleônica no Egito, além de 14 telas com imagens dos livros que podem ser manuseadas pelos visitantes.

egito-napoleao-interna-2O material em exposição foi produzido durante a viagem que Bonaparte fez em 1798 para o Egito, com uma força militar de mais de 55 mil homens e uma comitiva de 167 estudiosos entre artistas, gravadores, escultores, impressores, arquitetos, astrônomos, geógrafos, químicos, engenheiros de várias especializações, matemáticos, economistas, médicos, botânicos, zoólogos, orientalistas, escritores e intérpretes. Muitos dos estudiosos que viajaram para o Egito eram integrantes do Instituto da França, dentre eles o zoólogo Étienne Geoffroy Saint-Hilaire (1772-1844) e o inventor Nicolas-Jacques Conté (1775-1805), encabeçados por Denon.

O barão seguiu pelo alto Egito e fez uma série de esboços das ruínas. O general reconheceu a importância do registro e pediu aos cientistas que medissem e desenhassem os monumentos. Dessa forma, Bonaparte formou a bases de Description de l’Egypte, que acabaria dirigindo a atenção do mundo para o Egito Antigo, desembocando nos modernos estudos da história. Em 1802, Denon publicou o livro Voyage Dans la Basse et la Haute Egypte que depois foi traduzido para o inglês.

egito-napoleao-interna-3Ao mesmo tempo, o francês Edme François Jonard organizava Description de l’Egypte, publicada em 1809. Enquanto isso, Jean François Champollion, mais tarde conhecido como o “pai da Egiptologia”, descobriu a chave para decifrar os textos em hieróglifo da Pedra da Rosetta desenterrada pelo exército em 1799. Esta descoberta permitiu aos sábios ler a antiga linguagem, o que levou a uma nova compreensão da história do Egito.

A mostra promovida pelo Itaú Cultural já foi exibida no espaço expositivo do instituto e, mais recentemente, no Museu Nacional, em Brasília.

SERVIÇO

O Egito Sob o Olhar de Napoleão
Abertura: 25 de outubro, às 19h, coquetel para convidados
Visitação: de 26 de outubro de 2012 a 20 de janeiro de 2013
Aberta ao público de terça a sexta, das 8 às 20 horas, e aos sábados e domingos, das 10 às 18 horas, no Espaço Cultural Unifor Anexo
Entrada gratuita | Estacionamento no local

 
Banner
Banner

Banner